Escrito em por , na categoria Ação Contra a Mudança Global do Clima, Cidades e Comunidades Sustentáveis, Vida Terrestre.

Na Europa, o cicloturismo movimentou 44 bilhões de euros e empregou 524 mil pessoas em dois anos.

As rotas de cicloturismo têm ganhado cada vez mais espaço no mundo. De acordo com relatório da Federação Europeia de Ciclismo, o segmento movimentou 44 bilhões de euros no continente no ano de 2012 e, em 2014, empregou 524 mil pessoas – número maior que o de empregos produzidos pelo varejo, que aparece em segundo lugar com 80 mil postos de trabalho.

No Brasil, ainda não existem dados oficiais sobre a atividade, mas segundo o Clube de Cicloturismo do Brasil, a procura por essa modalidade tem aumentado.

cicloturismo

Andar de bicicleta é muito além de uma prática saudável para o corpo, como também proporciona uma aproximação do ambiente presente.

De 2001, quando foi fundado o clube, para cá, aumenta ano a ano a quantidade de pessoas cadastradas no site, chegando hoje à marca de 25 mil usuários que praticam ou têm intenção de vir a praticar a atividade.

Segundo dados, se houvesse mais opções de destinos, a procura seria ainda maior. “Vemos um grande número de interessados que faria mais passeios se houvesse mais estrutura, como maior número de rotas em estradas rurais e trânsito mais amigável nas cidades por exemplo”, é o que diz Eliana Britto Garcia, diretora de projetos do Clube.

No exterior, as rotas mais procuradas pelos brasileiros são o Caminho Francês de Santiago de Compostela – na França e Espanha – e a Via Claudia Augusta – que passa pela Alemanha, Áustria e Itália.

No Brasil, os mais cobiçados são os circuitos de cicloturismo de Santa Catarina: Vale Europeu, Circuito Costa Verde e Mar, e Circuito das Araucárias.

Para ciclistas iniciantes e experientes

Apesar de ainda não ser tão explorado quanto as modalidades tradicionais, o cicloturismo tem sido uma porta de entrada no mundo da bicicleta para muitos praticantes.

Preparo físico, bicicleta ideal, roteiro e alimentação são alguns dos pontos que merecem atenção.

É recomendado aos interessados que comecem por passeios de um dia, depois passem a fazer viagens de final de semana. Só então o ciclista estará apto a viagens maiores, de uma semana ou mais.

Durante o percurso, é importante prestar atenção ao corpo, nunca chegando ao limite do esforço físico, afinal, o intuito é se divertir e aproveitar as férias ou o tempo livre. A regra básica é fazer pausas antes de estar cansado, beber água antes de sentir sede e comer antes de sentir fome.

Outro ponto é a importância dos itens de segurança, tais como capacete, espelho retrovisor, luva, roupas claras ou coloridas, refletivos, campainha, farol e sinalização traseira.

É necessário ter uma bicicleta adequada para o percurso escolhido e que ela esteja revisada e em boas condições. Também é importante levar um kit de primeiros socorros e um kit de ferramentas” – e saber usá-los.

Ainda existem poucas agências que oferecem opções de cicloturismo, grande parte organiza roteiros para grupos de academias, lojas de bicicleta e corridas noturnas.

Para quem quer ser aventurar

O Clube de Cicloturismo disponibiliza gratuitamente o “Manual de Dicas para Cicloturistas de Primeira Viagem”, que orienta de maneira aprofundada como se preparar para fazer viagens turísticas de bicicleta.

Para viagens mais longas, de modo geral, são oferecidos carros de apoio e até o aluguel das bicicletas e equipamentos de segurança.

Na hora de escolher uma agência para viajar de bicicleta é bom verificar se ela segue as Normas ABNT de Turismo de Aventura, referentes ao cicloturismo. Essas normas ditam os padrões de segurança que uma agência deve adotar.

Eles também informam a lista completa de bagagem, com mais de 150 itens necessários para uma viagem totalmente aventureira, com direito a camping. Clique aqui para mais informações.

Conteúdo original ciclovivo