Escrito em por , na categoria Cidades e Comunidades Sustentáveis.

CNM em parceria com PNUD disponilizaram um guia para integração dos ODS nos municípios brasileiros

O Brasil, junto com outros 192 países membros das Nações Unidas, foi signatário e se comprometeu com a implantação, até o ano de 2030, de uma nova Agenda para o Desenvolvimento Sustentável com 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (os chamados ODS).

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, criada em 2015, convocou os governos locais a desempenhar um papel fundamental na transformação da agenda global em uma realidade local, em coordenação com outros níveis de governo e atores da sociedade civil, da academia, do setor privado, entre outros.

Em 2017, então início da gestão municipal vencedora do pleito no ano interior, já era pertinente ao debate político a temática sobre a construção de cidades inteligentes e sustentáveis. Diversas organizações desenvolveram estudos relacionados ao tema e uma delas foi a Confederação Nacional dos Municípios brasileiros (CNM) em parceria com PNUD Brasil.

O guia é tem o propósito de auxiliar os gestores municipais a integrar os ODS aos Planos Municipais Brasileiros no período 2018-2021.

Como aplicar o guia nas gestões locais?

Não adianta pensar esses objetivos de forma isolada. Para avançar nessa agenda, temos que pensá-la interligada ao planejamento da gestão municipal.

Por exemplo, aplicar a gestão de resíduos municipal vai além da coleta seletiva. Engloba educação de qualidade e acesso a informação quanto a importância dos da gestão dos resíduos na sociedade e o valor que eles tem. A possibilidade de integrar sistemas de energia decentralizados que podem surgir a partir da coleta desses resíduos, impactando na preservação e conservação da água e da terra na região, garantindo que haja exploração inteligente dos recurso, além da melhora da qualidade de vida e interação da cidade com os cidadãos. Um ciclo de constante mudança e adaptação!

Então, obter sucesso em um ODS pode resultar no sucesso de outros! Mas como aplicar um plano tão complexo? Cabe aos gestores levantar as características do município. Planejar, a partir desses indicadores, quais planos de ação, etapas de aplicação e acompanhamento destas ações serão feitas. Garantindo sempre uma boa estrutura de acompanhamento e indicadores para conclusão dos projetos.

Segundo Didier Trebucq, diretor de País do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil, “Parceria é palavra-chave quando se trata de grandes realizações. Não se pode concluir um projeto de dimensão planetária sem a cooperação do maior número possível de pessoas e instituições, em todos os níveis. É impossível pensar e cumprir uma agenda global para o desenvolvimento sustentável sem o envolvimento dos prefeitos e gestores municipais. Assim, convidamos a todos que estabeleçam conosco o compromisso coletivo diante de um futuro comum.”

O guia para integração dos ODS nos municipios brasileiros, na versão completa, pode ser baixado clicando aqui.

 

Algumas informações citadas estão referenciadas no próprio texto, e também podem ser visitadas no sítio original:
Confederação Nacional dos Municipios, “Guia para Integração dos ODS nos Municípios Brasileiros”, 2017. Link: www.cnm.org.br
Plataforma Agenda 2030, “Acelerando as transformações para a Agenda 2030 no Brasil”, 2019. www.agenda2030.com.br

Nós podemos ajudar nessa transição. Para parcerias e meios de implementação, entre em contato conosco.