Escrito em por , na categoria Energia Limpa e Acessível.

No dia 30 de abril, a Tesla divulgou na fábrica da Califórnia sua linha de baterias. Mais conhecida como fabricante de carros elétricos, a companhia pretende entrar de vez no mercado de energia.

Voltada para residências e empresas, a nova linha de baterias é de íon-lítio, conta com design moderno e pode ser instalada na parede.

Muito além de um design bonito. A Tesla aposta alto na eficiência energética. Uma aposta excelente.

Muito além de um design bonito. A Tesla aposta alto na eficiência energética. Uma aposta excelente.

De acordo com o fundador e presidente da companhia, Elon Musk, isto será “uma transformação fundamental em como a energia é distribuída pelo planeta”.

A bateria é desenvolvida para capturar e armazenar até 10 kWh de energia gerada por painéis solares ou turbinas eólicas. Sendo que as reservas podem ser utilizadas quando a luz do sol está fraca, durante apagões, ou em horários de pico, quando os custos da eletricidade são mais altos.

Tesla apresenta a Powerwall

A menor Powerwall, como a bateria foi batizada, tem 130 x 68 cm, pequena o suficiente para ser pendurada em uma garagem ou uma parede externa. Musk afirmou que até oito baterias podem ser empilhadas em uma casa.

Durante o evento também foi apresentada a Powerpack, uma bateria de 100 kWh que irá auxiliar fábricas ou grandes armazéns a gerenciar energia solar e eólica ou enviar energia para a rede durante horários de pico.

Segundo o presidente da Tesla, cerca de dois bilhões de Powerpacks poderiam armazenar eletricidade suficiente para atender todas as pessoas do planeta. “Pode parecer um número maluco, mas isso está dentro das condições da humanidade fazer”, disse.

Inicialmente as baterias serão desenvolvidas na fábrica da Tesla na Califórnia, mas a partir de 2017 a produção será transferida para a “gigafábrica” da empresa em Nevada.

Comercialização a preços rentáveis

A Tesla já abriu as vendas das baterias, cujas primeiras unidades devem ser entregues em agosto. O preço do modelo mais básico, de 7 kWh (quilowatt-hora), é US$ 3.000, enquanto a bateria de 10 kWh será vendida por US$ 3.500. Não estão inclusos os custos da instalação e do painel solar.

Imaginemos em um futuro próximo: a autossuficiência energética(!) por meio dessas baterias e por diversos outros meios de geração de energia limpa. É possível imaginar mudanças inimagináveis para a vida humana.

Nos resta torcer para que a inovação avance, não pare. E muito menos retroceda. Um golpe de mestre da Tesla? Em curto prazo? sim. A longo prazo? Que torçamos para que os resultados sejam os melhores, independente do setor, os ganhos serão de todos.

Texto original pensamentoverde.com